Um verbete do Dicionário Gastronômico do Pai Pançudo (1889)

Canard avec Pyrosis – Um dos pratos de sabor mais refinado de toda a cozinha normanda, o Pato com Azia é o ápice da experiência de qualquer gourmand entediado. Segundo Richot, durante séculos nossos camponeses observavam seus patos à procura de sinais de gastrite, como pequenos soluços e regurgitações, e separavam esses patos afligidos pela cobiçada doença em um cercadinho especial, o “Recanto dos Dispépticos”. A doença dá um sabor ácido característico à carne da ave, o que encantou Bismark quando visitou a região. “Dê-me um Pato com Gastrite”, teria exclamado o corpulento chanceler alemão, “e estarei pronto para unificar a própria África!”

Não só o Canard avec Pyrosis (“un Pyro” no linguajar do parisiense moderno) constitui um elegante prato principal, como também serve de acompanhamento leve, ou pequeno “snack”  da tarde. Nossos leitores acostumados a passar férias nesta afortunada região devem ter se acostumado à vista dos nossos camponeses, a caminho da vindima, parando junto ao cercado do Recanto dos Dispépticos, apertando com dedos experientes a barriga de um pato  para provocar borborigmos, e em seguida enfiando a língua o mais fundo possível pelo bico do animal, para saboerar, nas paredes da sua garganta, o néctar do refluxo estomacal! Um espetáculo que alguns leitores de excessiva delicadeza podem achar grotesco, mas que a tantos outros lembra um amante vergado por sobre a mais aromática das rosas.