Moralismo é gostoso

por soaressilva

Grande, já mostram pintos em comédias inócuas do tipo “Hangover 2”. Logo vai aparecer um pinto nos Muppets. O Animal vai bater o pinto ereto na bateria, com suas duas bolinhas de lã.

Ninguém fica chocado, porque eliminamos as avozinhas chocáveis, as que se benziam toda hora. As avós que vejo por aí falam às netas de técnicas para ejaculação feminina. Avós que falam em caralhos e cus. As avós e avôs tradicionais, que cobriam todo o espectro da inteligência, do bronco ao Nicolás Gómez Dávila, eram a reserva da decência no mundo. Eu ficava chocado quando via obscenidades em público porque pensava nesses avozinhos míticos passando na rua e vendo aquilo. Toda a civilização dependia do cuidado com esses velhinhos hipotéticos.

Agora que se foram, agora que morreu o último, se persignando todo chocado com a visão de um mamilo de Will Ferrell, falemos todos palavrões então, como uma menina a três semanas de optar por se tornar prostituta gritando aos guinchos com as amigas no ônibus. Penduremos logo as tetas para fora das blusas.

Menos, Alexandre! Estás a Luis Felipe Pondé o texto todo.

Mas sim, Pondé está hoje à coca na minha alma, tenham paciência. Ademais eu sei que estou exagerando, que ainda há avós pudicas, me deixem exagerar, larguem minha blusa. Essas avós morrem ao ritmo frenético de escoteiros perdidos na floresta.

O que me espanta é que ninguém perceba o quanto o moralismo é gostoso. Podemos todas as perversões, mas moralismo não, né? Ora, tenta fazer com o rosto uma expressão de censura moral. Enche o peito inclusive, fica ereto, faz cara de desgosto.

Gostoso, não? Um pouco sexy?

Sexo é mais sexy contra um pano de fundo de um moralismo disseminado e acachapante, de senhores caturros. Preservemos a decência, senhores, e em público voltemos a cobrir certos assuntos de silêncio – quanto mais não seja para continuar conseguindo ter ereções.

Anúncios